Tentando definir: transexualidade

on quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014
Há alguns dias recebi um comentário a perguntar qual era a diferença entre transexualidade e transgenerismo. Esta pergunta vai ser respondida por partes. 

Vou começar por tentar definir "transexualidade". Existem várias formas de definir uma pessoa transexual, mas a minha definição favorita é a seguinte: 
uma pessoa transexual é uma pessoa cuja identidade de género não corresponde ao género que lhe foi atribuído a nascença.

É uma definição bastante simples, mas vamos tentar entende-la mais a fundo.

O que é isso de "género atribuído a nascença"? 
Quando nascemos, uma das primeiras coisas que os médicos fazem é olhar para os nossos genitais e, com base nessa observação, declaram-nos "menino" ou "menina", caso observem um pénis ou uma vulva, respetivamente. Ou seja, é-nos atribuído um género à nascença com base na aparência dos nossos genitais. 


Esse género que nos é atribuído carrega com ele toda uma bagagem social, espectativas de comportamento, gostos pessoais, estilos de roupa, aparência, etc. Toda esta "bagagem" pode ser referida colectivamente como "papéis de género". Eu hei de abordar o tema dos papéis de género num futuro post aqui mas, para já, quero apenas deixar claro que os papéis de género são algo artificial e definido pela sociedade e que, portanto, pouco ou nada têm a ver com o género atribuído a nascença ou com a nossa identidade de género.


Falemos agora da identidade de género. Isto é algo mais difícil de definir. Tal como o nome implica, a identidade de género diz respeito à nossa identidade, à forma como nos vemos a nós mesmos e como nos vemos em relação ao ambiente em que estamos inseridos. Ou seja, é um conceito bastante abstracto e pessoal. É aquela sensação de "ser" homem ou mulher (ou outra coisa qualquer). O que é que significa ser homem ou mulher? Não sei. Há inúmeras formas de ser homem ou mulher, assim como ha inúmeras formas de ser tímido,  simpático, curioso, trapalhão, paciente ou outra característica qualquer que define a nossa identidade. Posso é dizer o que é que não define um homem ou uma mulher: não os nossos genitais, não são os pêlos que temos ou não nas pernas, não é o nosso gosto por vestidos ou calças, não são as nossas escolhas profissionais, não é a nossa orientação sexual, não são os nossos hobbies... Resumidamente: a nossa identidade de género não é definida pelos papéis de género nem pela nossa aparência.

A nossa identidade de género é definida por nós mesmos. Somos apenas nós que sabemos quem somos e como nos sentimos e, portanto, somos apenas nós que temos legitimidade para nos definirmos.


Recapitulando: todos nós somos classificados como homem ou mulher à nascença de acordo com os nossos genitais. Entretanto, podemos descobrir que a nossa identidade difere da que nos foi imposta à nascença. 

Ou não, podemos crescer satisfeitos com o género que nos foi atibuido. Essas pessoas sortudas cuja identidade de género alinha com o género que lhes foi atribuído, chamam-se "cissexuais" (ou cisgéneros, as duas palavras costumam usar-se como sinónimos). Por exemplo, uma pessoa que foi declarada "menino" à nascença e que se identifica como homem é uma pessoa cisgénera.

Por outro lado, temos as pessoas cuja identidade de género é diferente do género que lhes foi atribuído. Essas são as pessoas transexuais.

É tao simples quanto isto.

Existe uma outra dimensão que não tenho bem a certeza se deva incluir na definição de transexual, mas vou menciona-la na mesma porque pode ser útil mais tarde quando tentar distinguir as noções de transexualidade transgenerismo. Uma pessoa transexual é, de acordo com algumas pessoas, uma pessoa cuja identidade de género não corresponde ao género que lhes foi atribuído e que expressam vontade de modificar o seu corpo de acordo com o género a que pertencem. Ou seja, alem do que eu já expliquei anteriormente, acrescenta-se aqui o critério da "transição"- considera-se então aqui que uma pessoa transexual quer fazer algum tipo de transição física (note-se que eu escrevi "quer" e não "faz"; existem pessoas que querem transicionar mas, por diversas razões, estão impossibilitadas de o fazer).

Isto é o básico dos básicos. É uma tentativa de reduzir as pessoas transexuais a um denominador comum. Mais tarde vou desenvolver melhor algumas das noções introduzidas neste texto mas, para já, fico-me por aqui.

2 comentários:

ChasingTheSun disse...

Estou bastante esclarecido, muito obrigado. :)

Tomás Barão disse...

És o maior, mesmo. =D
Fica sabendo que quando alguém não souber o que é transgenerismo ou transexualidade, vou encaminhá-lx para aqui. :) Obrigado por estares a fazer isto!

Enviar um comentário